Incubadora abre portas em Nova Iorque de olhos postos nas startups europeias

mundo

Chama-se B.New York e é uma incubadora de olhos postos em startups e empresas de tecnologia. Até aqui, nada de novo em relação a tantas outras incubadoras que por aí existem. Mas esta é diferente: primeiro, porque se encontra localizada em Brooklyn, na cidade norte-americana de Nova Iorque; e depois, porque oferece uma oportunidade para as empresas europeias, uma vez que é para startups e scale-ups internacionais que abre agora as suas portas, adicionando aos serviços normalmente disponibilizados vários outros (legais, de contabilidade e atribuição de vistos).

Um centro que, tal como se pode ler no site do projeto, “combina elementos de um espaço de co-working, incubadora, acelerador, escola e centro comunitário, visando empresas que estão a crescer dinamicamente e a expandir-se em todos os continentes”. Isto apesar de o foco principal serem as empresas europeias com desejo de entrar no mercado dos EUA e vice-versa.

O projeto resulta de uma parceria entre o NYC Economic Development Corporation e a B. Amsterdam, uma das mais bem-sucedidas incubadoras europeias, tendo sido atribuídos subsídios pelo governo holandês.

Fonte: B. Building Business

Levar o carro à oficina nunca foi tão fácil

izirepair

Plataformas que disponibilizam serviços não faltam. Há-as para férias, viagens, hotéis, transportes. E há agora também para oficinas de mecânica automóvel. É pelo menos isso que oferece a IZIRepair, a primeira do género e com cunho português, que tem como missão levar o carro à oficina. Ou seja, através dela é possível selecionar a oficina que é mais do agrado para realizar os trabalhos necessários, bastando apenas para isso introduzir a matrícula da respetiva viatura e o código postal da zona pretendida.

É o fundador desta startup que explica, em declarações à Startup Lisboa, que foi a elevada oferta deste tipo de serviços, o que faz com que, não raras vezes, quem precisa de um arranjo no carro não saiba bem para onde se virar, que motivou a criação da plataforma. A IZIRepair pretende dar aqui uma ajuda, ao identificar as oficinas onde se realizam os serviços de que o cliente necessita, os preços praticados e a localização da mesma. Depois da escolha feita, há ainda a opção de recolha e entrega da viatura, sem que o cliente se tenha que preocupar com isso. A esta junta-se outra mais-valia: todas as oficinas apresentadas são sujeitas a uma avaliação prévia.

A inovação made in Portugal está a dar os primeiros passos no mercado nacional, mas não perde de vista o desejo de internacionalização.

Fonte: Startup Lisboa

Uma ‘cidade’ do empreendedorismo dentro de uma cidade empreendedora

Lisboa

É nas antigas instalações da Manutenção Militar, no Beato, ali entre Santa Apolónia e a Expo, em Lisboa, que vai nascer o Hub Criativo do Beato. Espalhados pelos 35 mil metros quadrados do espaço (o equivalente ao Terreiro do Paço) vão estar 20 edifícios, onde se espera que, já no próximo ano, estejam a trabalhar três mil pessoas, num projeto que vai ser também aberto à população, com oferta de bares, restaurantes, mercados…

A incubadora alemã Factory, a Unicer, a Mercedes e a Web Summit já têm lugar reservado neste novo espaço, onde a criatividade pretende ser palavra de ordem. De resto, incubadoras, aceleradoras, espaços de cowork não vão faltar em áreas que vão das indústrias mais criativas, como o cinema ou a publicidade, passando por centros de investigação até às startups nacionais e internacionais.

Fonte: site Câmara Municipal de Lisboa

Diagnóstico da depressão à distância de um exame de sangue

universidad-do-porto

E se, para diagnosticar a depressão, não fosse preciso mais do que uma simples análise ao sangue? É esta a proposta de uma equipa do i3S – Instituto de Investigação e Inovação em Saúde da Universidade do Porto (UP), que quer facilitar a vida a quem sofre com a doença e a quem tem que a diagnosticar.

Chama-se ‘MyRNA Depression Diagnostics’ e trata-se de “um kit para detetar e quantificar um painel específico de biomarcadores moleculares numa amostra de sangue, o que permite um diagnóstico quantitativo e uma melhor monitorização da doença”, explica ao site de notícias da UP Susana Santos, um dos elementos da equipa que está a trabalhar nesta inovação. Uma forma de dar mais facilmente nome a um problema que afeta milhares de portugueses e milhões de pessoas em todo o mundo, e que é possível graças à análise feita por um algoritmo, que fornece os resultados entre 24 a 48 horas após a colheita de sangue.

A ideia acabou mesmo por ser escolhida para participar no programa COHiTEC deste ano, uma iniciativa da COTEC Portugal – Associação Empresarial para a Inovação, que visa dar apoio na avaliação do potencial comercial das ideias e ajudar a transformá-las em produtos.

Fonte: Notícias Universidade do Porto

Conheça alguns falhanços da inovação

fail_01

Porque nem sempre a inovação resulta a 100%, e de falhanços está a História repleta, o Observador apresenta alguns dos maiores flops de sempre:

  1. Um lança-chamas contra o carjacking
  2. Segway
  3. Porta Moedas Multibanco
  4. LaserDisc
  5. Google Glass
  6. Concorde
  7. Eau de toilette da Harley Davidson
  8. Hindenburg, o “Titanic dos céus”
  9. Lasanha da Colgate
  10. Smartgun
  11. Coca-Cola com novo sabor
  12. Insulina inalável
  13. Rejuvenique Electric

Veja o artigo completo aqui.

Webinar: Tendências da gestão da inovação no Brasil e Portugal

unnamed

Não perca este Webinar! Mais uma iniciativa da parceria Innoscience  e Improve.

Dia 01 de junho às 15h(PT).

Inscreva-se aqui: bit.ly/WebinarGestãoDaInovação