Tablets, os novos brinquedos?

transferir.jpg

Para as crianças desta geração a tecnologia faz parte do seu dia-a-dia, por isso é que Hugo Ribeiro estranhou que o brinquedo de eleição das suas filhas fosse o iPad. No entanto, o que o preocupou foi a falta de interação das crianças com brinquedos reais, que pode resultar numa perceção espacial pouco desenvolvida. Foi a partir deste impasse que Hugo desafiou Pedro Branco, professor universitário e investigador, e Carina Figueiredo, com experiência de interação com crianças através da componente tecnológica a criarem juntos um sistema que permitisse juntar os dois lados da brincadeira. Surge assim magikbee, com três jogos: Hidden Shape, para crianças entre os 3 e os 5 anos, Dino Blocks, dos 4 aos 6 anos e Runaway, dos 5 aos 8; e um kit de brinquedos de madeira que interage com o tablet, onde estão instalados os jogos, assim as crianças não perdem nenhuma das dimensões.

“O nosso objetivo foi criar jogos para crianças de todas as idades, de maneira a que elas gostem, consigam fazer interagir objetos reais com a tecnologia. Nos níveis mais avançados, as crianças vão ainda precisar de adultos para conseguirem passar de nível, o que faz com que integrem adultos nas suas brincadeiras”, explica o cofundador do projeto.

Por enquanto, a equipa da startup continua a trabalhar no registo das patentes e, por isso, pouco pode adiantar acerca da tecnologia, e para conseguirem produzir os primeiros 5000 kits, os fundadores da magikbee avançaram com uma campanha de crowdfunding na plataforma IndieGogo, uma das mais concorridas a nível mundial, que tem como objetivo angariar 37 mil dólares até 20 de janeiro.

Fonte: Dinheiro Vivo

Anúncios

Está destinado a ser um empreendedor?

Empreendedorismo – por um lado liberdade e flexibilidade, por outro, grande responsabilidade e uma maior necessidade de disciplina, ser empreendedor não é para todos. Como saber se é, ou poderá ser, um bom empreendedor?

Existem 7 sinais que podem revelar essa faceta:

  1. Ter iniciativa: iniciativa é crucial para empreendedorismo. Como pode saber se tem iniciativa? Ao ter estado envolvido em grupos ou causas sem retorno monetário, ao ter criado uma organização na faculdade, ao ser voluntário de uma instituição, são alguns exemplos.
  2. Ter paixão: Uma atitude de indiferença não está associada a um empreendedor de sucesso. É preciso gostar mesmo daquilo que se faz, pois é necessário ter força para superar os obstáculos, por vezes inevitáveis. Um negócio raramente tem sucesso do dia para a noite, é preciso estar preparado e acreditar, mesmo, no empreendimento para superar possíveis deceções.
  3. Ter competências sociais: Ser solitário não o impede se tornar um potencial empreendedor, no entanto, a falta de bom senso social poderá ser um obstáculo para o sucesso. A comunicação e a interação são uma necessidade em qualquer negócio, sem estas capacidades poderá ter mais dificuldade em formar parcerias, em atrair clientes e até mesmo networking dentro da empresa.
  4. Não aceitar um “não” como resposta: “Dar-se” facilmente não costuma ser uma característica muito habitual entre empresários. É preciso proteger o seu negócio, o sucesso exige perseverança, capacidade de persuasão e pensar “fora da caixa”. Por vezes leis, códigos podem transformar-se em obstáculos para o crescimento do seu negócio, é preciso ter força para superá-los.
  5. Ser criativo: A criatividade não é apenas uma qualidade encontrada em artistas e escritores, é também uma característica comum em empreendedores, como encontrar formas inovadoras para resolver problemas comuns. Estudos concluíram que apenas 47% das pessoas são criativas.
  6. Ser competitivo por natureza: Existe uma razão para as empresas apostarem no recrutamento de desportistas para posições de vendas e de negócios, existe, tanto no desporto como nas empresas, o desejo de criar estratégias para alcançar vitórias. Se fez parte de uma equipa desportista em crescimento ou vencedora, ao ser confrontado com um pouco de rivalidade já tem o que é necessário para ser um empreendedor. A natureza competitiva irá forçá-lo não apenas a ser melhor mas sim, ser o melhor.
  7. Ser trabalhador: Quem está disposto a dedicar-se ao trabalho é, habitualmente, quem tem a maior recompensa. Se for o tipo de pessoa que só quer fazer o mínimo possível, a carga de trabalho do empreendedorismo vai vencê-lo. Os empreendedores não se deixam vencer pelo excesso de trabalho, por trabalhar no fim-de-semana ou pelos sacrifícios para o sucesso do seu negócio. Se não estiver disposto a despender do seu tempo a sua ideia nunca sairá do papel.

Fonte: Entrepreneur

Calças de ganga tecnológicas? Uma evolução do têxtil?

Não vamos começar a vestir tecnologia, mas sim adaptar a tecnologia ao que vestimos. Confuso? Miguel Carvalho, professor de Engenharia Têxtil na Universidade do Minho, pensou em criar funcionalidade, e foi assim que surgiu a ideia de adaptar a tecnologia ao vestuário e posteriormente a um produto, concebido no MIT (Massachusetts Institute of Technology).

Desde 25 de novembro que se pode contribuir para esta reinvenção das calças de ganga no Kickstarter, a marca FYT Jeans tenciona conquistar , no primeiro mês, um mínimo de 30 mil euros para financiar o arranque da produção destinada à Europa e aos EUA.

O projeto FYT Jeans surge a partir do estudo do comportamento das pessoas. Nos dias de hoje seria de estranhar que fossem as pessoas a adaptar-se ao que vestem e não o inverso.

Em 2011, quando Miguel Carvalho se tornou professor convidado no MIT, nos EUA, conheceu Elazer Edelman, médico cardiologista, diretor de Centro de Engenharia Biomédica do MIT e diretor do Centro de Ciências da Saúde e Tecnologia da Harvard Medical School. Juntos, passaram os anos seguintes nos laboratórios a estudar engenharia têxtil e anatomia. Usaram scanners 3D, imagens termográficas e sensores termodinâmicos para medir tensão, pressão e temperatura com diferentes posições do corpo. A partir desta informação, desenvolveram umas calças de ganga que reduzem até 90% a compressão e minimizam a concentração localizada de temperatura e pressão. Mais informações no vídeo aqui.

Após vários protótipos, na busca da otimização de materiais e do design, foram já registadas patentes para o design final dos FYT Jeans, com modelos para homem e mulher, na Europa e nos EUA.

Apesar da startup estar sediada em Cambridge, a produção será feita em Portugal.

Fonte: pplware SAPO