ASSISTER: o software que promete acabar com as derrapagens nos prazos de entrega da obra

A empreitada dentro de um computador, tablet ou smartphone, onde todos os intervenientes podem interagir, conhecer as falhas detectadas ao longo da obra e acompanhar o processo de resolução. A inovação chama-se ASSISTER e chegou ao sector português da Construção pelas mãos da SparkleIT. A empresa acaba de lançar no mercado o software – já o exporta para França –  que permite a gestão dos incidentes de uma empreitada. Uma solução que possibilita a aceleração do processo de passagem de informação e clarifica os dados transmitidos entre todos os intervenientes na obra, desde o promotor, passando pelas empresas executantes, subempreiteiros e o cliente. A empreitada passa, assim, a ser, toda ela, controlada online, encurtando tempos de resposta à resolução de problemas, ajudando a reduzir os prazos para a entrega da obra.

Segundo o director-geral da SparkleIT, Pedro Vaz Alves, “o ASSISTER nasceu  de uma necessidade detectada na Construção, fruto do know-how que a empresa tem relativamente ao sector”, conhecendo bem as suas necessidades e dificuldades.

As dificuldades mais comuns – incidentes em obra, problemas de comunicação e atrasos na execução – encontram resposta através do ASSISTER, que é configurável para responder às necessidades de cada empresa em particular.

Um software que gera ganhos para todos os intervenientes: o cliente vê o seu problema rapidamente resolvido, o promotor consegue dar resposta rápida ao incidente  detectado e controlar o tempo em que é resolvido, as empresas conseguem planear com antecipação e gerir com maior rapidez o seu dia de trabalho.

Trata-se de uma solução sem papel que pode ser utilizada on e offline, mesmo em obras e zonas do planeta onde não há rede de internet.

Maior velocidade e garantia de segurança, diminuição nos prazos e custos na resolução de incidentes na obra é a promessa do ASSISTER, uma plataforma que promete revolucionar o sector da Construção.

sit

Anúncios

Tapetes de cortiça tecidos por tecelagem

O grupo Amorim, líder mundial do sector da cortiça, continua a demonstrar resultados supreendentes que única incubadora do mundo que se dedica exclusivamente ao negócio da cortiça, a Amorim Cork Ventures (ACV), está a ter. Depois das chinelas Asportuguesas, que já estão a ser comercializados, vai agora ser lançada no mercado a primeira colecção de tapetes de cortiça tecidos por tecelagem.

Este foi um dos primeiros projectos que apareceu na ACV, logo em Dezembro de 2014, mas o desenvolvimento do processo de fabrico acabou por se revelar longo. Foi necessária uma pesquisa da tipologia de cortiça adequada para um produto com as características e requisitos de um tapete, juntamente  com a facilidade de ser cortada, sem perder resistência. A novidade desta colecção surge pela conjugação inédita num tapete deste material com lã nacional e com algodão recuperado de grandes produções industriais.O grande desafio passou pela conjugação em tear destas matérias-primas, todas elas com respostas diferentes para o mesmo tipo de ponto, explica a criadora da marca Susana Godinho, designer de profissão

O desenvolvimento do processo está concluído, a empresa está criada – TD Cork – e a marca também: Sugo Cork Rugs. O pedido de patente já está a seguir o seu curso e Portugal, que já era considerado uma referência na indústria de tapetes vocacionados para o segmento alto e médio alto (com exemplos como os tapetes de Arraiolos ou de Beiriz), tem agora um produto que lhe adiciona outra indústria pela qual é amplamente reconhecido, a cortiça. A cortiça tem propriedades reconhecidas em áreas como o isolamento térmico e acústico, o conforto, e características antialérgicas.

sugo

Fonte: Público

 

As soluções da Inovação social

inovacao

Nos últimos anos, tem se registado uma maior aposta na inovação social para resolver problemas para os quais os mecanismos tradicionais já não têm solução, e por isso, até 2020, o Governo português pretende investir 150 milhões de euros (fundos estruturais) para financiar soluções inovadoras.

Conheça cinco destas soluções inovadoras:

Academia de Código Junior, nascida em 2013, tem como objetivo melhorar o sucesso escolar dos alunos do ensino básico, através da aprendizagem de programação informática. Além de alunos, também dá apoio a desempregados. É o primeiro título português de impacto social em Portugal (os títulos são uma espécie de acções negociadas numa bolsa especial, a Bolsa de Valores Sociais).

Patient Innovation, plataforma digital que pretende criar uma rede de partilha à escala global em que os pacientes, e não só, partilham entre si inovações no tratamento de doenças raras.

Speak venceu, em 2015, o Big Impact Award por ter desenvolvido um modelo de inclusão de imigrantes através do ensino de línguas e cultura em cidades por todo o país.

Mundo a Sorrir (MaS), uma organização não-governamental criada por um jovem dentista do Porto que trabalha na área da prevenção e tratamento da saúde oral para jovens oriundos de situações económicas desfavorecidas. A MaS também tem protocolos com escolas e venceu o prémio de empreendedorismo social do INSEAD em 2014.

ColorAdd, um projeto já mundial que implicou a criação de uma espécie de código universal que transforma cores em símbolos, facilitando a inclusão social de daltónicos.

Fonte: Público

Debate internacional sobre inovação em turismo – Lisboa

Lisboa vai ser o palco da conferência internacional que servirá de debate das melhores ideias de inovação em turismo e onde irá anunciar o vencedor do Tourism Innovation Competion, lançado pelo The Lisbon MBA e o Turismo de Portugal.

O projeto vencedor deste concurso mundial de ideias será financiado, até 100 mil euros pela Portugal Ventures, de forma a ser implementado no território português.

O Tourism Innovation Competition lançou o desafio para descobrir uma solução digital que permita melhorar a experiência de visitar monumentos e museus e atrair novos visitantes. Está a ser promovido mundialmente, por forma a captar o que melhor está a ser pensado em todo o mundo.

post_tourism-competition

Fonte: Jornal Económico.

Seis bolsas de investigação na NASA

nasaA Fundação para a Ciência e Tecnologia (FCT) vai abrir concurso para seis bolsas de investigação para estágios na National Aeronautics and Space Administration of the USA (NASA).

O concurso, que está aberto até dia 30 de janeiro, decorre de um acordo de cooperação celebrado entre o Ministério da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (MCTES, liderado por Manuel Heitor, na foto), a FCT e a NASA em Março de 2016 que integrou Portugal no programa internacional de estágios da agência espacial.

Podem candidatar-se alunos que estejam a frequentar um doutoramento ou mestrado nas áreas das ciências, tecnologias, engenharias e matemática, e a desenvolver trabalho académico sobretudo na área espacial.

As oportunidades, em 12 projectos de investigação da NASA, abarcam áreas científicas como a matemática, a física, a engenharia, a biologia, a nanotecnologia, a aeromecânica ou a informática, entre outras. Os alunos seleccionados irão frequentar os estágios entre Junho e Dezembro de 2017.

Fonte: Jornal de Negócios

Campus Party em Portugal

Para todos os fãs de inovação, criatividade, ciência, empreendedorismo e entretenimento digital, chega a Portugal o Campus Party.

Conhecido com‘festival geek’, já marcou presença no Brasil, Colômbia, Alemanha, Holanda e Espanha, de onde, aliás, é originário o festival, chega a Portugal e a primeira edição vai realizar-se no Estoril, entre os dias 4 e 9 de Julho.
Marque já na sua agenda!

campusparty

Saiba mais sobre o festival no site oficial.

CRIAM e Findster representam Portugal em Las Vegas

ces

As startups CRIAM e Findster, duas startups de “hardware” finalistas dos programas de aceleração da Startup de Braga, vão estar a representar Portugal na maior feira tecnológica do mundo, a CES Las Vegas.

A CRIAM, na área da saúde, desenvolveu um dispositivo médico inovador que possibilita a deteção do tipo de sangue e de doenças, de uma forma automática, rápida e portátil. Foi, após a participação no 3º programa de aceleração da Startup de Braga em 2016, a segunda startup portuguesa a ser selecionada pela HAX, a maior aceleradora mundial de hardware.

A Findster, foi a primeira startup portuguesa a se juntar à HAX, participou no primeiro programa de Aceleração da Startup Braga, tendo lançado o seu dispositivo de localização de crianças na plataforma de crowdfunding Indiegogo.

A participação da Criam e da Findster no HAX abriu as portas das duas startups do Norte à CES (International Consumer Electronics Show), que arrancou dia 3 e decorre até dia 8 de janeiro de 2017, em Las Vegas.

Saiba mais aqui.