Startup Portugal encomendou estudo sobre o ecossistema empreendedor português

A Startup Portugal, liderada por Simon Schaefer, encomendou um estudo, sobre o ecossistema empreendedor português, através de ajusto direto, à Sociedade Portuguesa de Inovação (SPI).

A Startup Portugal executa a estratégia de empreendedorismo para Portugal, foi apresentada em junho de 2016. A bolsa de apoio Startup Voucher, o vale de incubação e o programa Semente são três das medidas que integram este plano.

startup-portugal

Fonte: Dinheiro Vivo

Didimo vence concurso internacional Women Startup Challenge

A Didimo, startup liderada por Verónica Orvalho, ficou em primeiro lugar na competição internacional Women Startup Challenge VR and AI.

Esta startup, nascida na Universidade do Porto,  desenvolveu uma tecnologia que permite criar personagens virtuais 3D (avatares) a partir de uma fotografia tirada com um telemóvel. Esta tecnologia permite a cada pessoa ter a sua identidade virtual e pode ser usada no cinema, jogos de vídeo, mas também na medicina, desporto ou retalho.

O concurso, promovido pela organização norte-americana Women Who Tech, com a parceria de Craig Newmark, fundador da Craiglist (rede de comunidades online que disponibiliza classificados e fóruns locais para empregos, vendas, relações, serviços), teve como alvo projetos disruptivos desenvolvidos por mulheres, nas áreas da realidade virtual e inteligência artificial.

A Didimo foi única finalista portuguesa na competição e voltou para casa com um prémio no valor de 50 mil dólares (cerca de 47 mil euros).

wwt_challenge

Fonte: Observador

O maior fundo, a nível europeu, está de olho em Portugal

atomico

A empresa de investimento, Atomico tem novo fundo e, veio avisar, que está de olho em Portugal, a equipa tem estado atenta ao ecossistema empreendedor português. O quarto fundo da Atomico é composto por 765 milhões de dólares (724,50 milhões de euros) e é o maior a nível europeu. Está destinado a empresas tecnológicas em Série A (fase de pós lançamento) ou mais avançadas, que tenham em vista a escala e que pretendam tornar-se líderes globais nos setores em que atuam.

Não é a primeira vez que uma empresa portuguesa recebe um investimento deste género, a Uniplaces, em 2015, angariou um investimento de 22 milhões, na maior ronda de Série A.

Saiba mais em: Dinheiro Vivo

 

O primeiro acelerador de startups de nanotecnologia em Portugal

Startup Nano, é o nome deste primeiro acelerador de startups de nanotecnologia, foi pensado em conjunto pelo Laboratório Ibérico de Nanotecnologia (INL) e o Centro de Nanotecnologia e Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes (CeNTI), com o apoio da Startup Braga e a Universidade do Minho. Arrancou com quatro startups – Easy Biopsy, Go Clean, Best Health and Graphenest.

Estas quatro startups  recebem desde a ideia até à concretização do negócio para o mercado global, acesso a laboratórios e equipas especializadas em nanotecnologia e é no INL onde se fixam: uma infraestrutura internacional singular em nanotecnologia construída em Braga, pelos Governos de Portugal e Espanha.

Este primeiro acelerador, focado em nanotecnologia, consiste numa primeira fase – Launchpad –  que estará reservada à apresentação das ideias, para validação quer da tecnologia, quer do potencial de mercado. E só depois as equipas entram no programa de aceleração para desenvolver o produto e entrar no mercado. Durante quatro meses intensivos, as startups usam os apoios do programa para desenvolver o produtos e o negócio, com o apoio de mentores e especialistas nacionais e internacionais, antes de se juntarem a programas de imersão nos EUA e Reino Unido.

startup_nano

Fonte: Jornal Económico

Plataforma de recrutamento e seleção de talentos júnior

unono

Unono, a única startup ibérica que atua na área do recrutamento e seleção de talentos júnior, o que pretende fazer? Reunir estudantes, recém-licenciados e empresas numa plataforma para facilitar, por um lado, a procura de emprego e, por outro, a de talento.

São analisados perfis sem experiência a perfis com, no máximo, três, quatro anos de experiência, sempre com menos de 30 anos, para estar apto a estas oportunidades basta aceder à plataforma e registar os dados mais o currículo (escrito e em vídeo). O objetivo é ajudar a encontrar as primeiras ou novas oportunidades de trabalho.

A atuar em Portugal e em Espanha, a Unono conseguiu fazer mais de 50 match (ligações de sucesso) entre candidatos e empresas, em oito meses.

A Unono nasceu em Madrid, pela mão de Luís Mendes e Raphäel Heraief (espanhol e suíço) quando eram estudantes, e com apenas dois anos e meio de vida tem mais de 50 clientes, como a consultora Accenture, a Amazon, a Science4you, a Johnson & Johnson, a Ageas, a Zurich ou a Prodsmart.

Em Portugal, a empresa está incubada na Startup Lisboa há cerca de um ano. Neste momento, as operações da Unono estendem-se a Lausanne, na Suíça, onde estão a trabalhar no desenvolvimento de uma tecnologia própria de análise de vídeo.

Fonte: Observador

Improve e Innoscience lançam workshop sobre como criar e gerir inovação

improve

A Improve, empresa de serviços de inovação do Grupo Guess What, assinou uma parceria com a Innoscience, consultora brasileira com mais de dez anos de experiência na área da inovação. Depois de várias parcerias locais, é agora através da Improve que a Innoscience se aventura pela primeira vez na internacionalização, “a Improve é a porta perfeita para entrarmos na Europa, podendo partilhar o nosso know-how e case studies mas também podendo aprender outras formas de trabalhar e encarar a inovação” afirma Felipe Ost Scherer, cofundador da Innoscience.

Através desta parceria a Improve e a Innoscience vão lançar um workshop sobre como criar e gerir inovação.

A convite da Improve, Felipe Ost Scherer, sócio-fundador da Innoscience,  vem a Portugal pela primeira vez para dar o workshop. A sessão decorrerá no próximo dia 28 de março, das 9h às 18h, nas instalações da ETIC (Escola de Tecnologias Inovação e Criação), em Lisboa.

Com uma abordagem muito pragmática e focada em casos de estudo reais, Felipe Ost Scherer promete abordar temas fundamentais para o desenvolvimento e sucesso das empresas na atualidade. Técnicas de identificação de oportunidades; como gerar ideias e ir a campo; ferramentas de avaliação e refinamento de ideias; elaborar um plano de experimentação; desenhar o modelo de negócio e o projeto de implementação e como planear um programa de inovação corporativo ou aberto são alguns dos temas em foco.

O workshop está limitado à participação de 30 pessoas e tem um custo de 150€, nas inscrições feitas até ao próximo dia 8 de março. Após esta data o valor sobe para os 225€. As inscrições podem ser feitas aqui. No final todos os participantes receberão uma certificação em Gestão da Inovação.

Felipe Ost Scherer é sócio-fundador da Innoscience, Mestre em Administração pela UFRGS, MBA Executivo pela ESPM, Avaliador de Programas de Qualidade e Produtividade, Professor de Graduação e MBA, Colunista de inovação da revista Exame.com, Autor dos livros Gestão da Inovação na Prática e Prática dos Inovadores pela editora Atlas.

A Innoscience possui uma metodologia e ferramentas de trabalho exclusivas testadas desde 2006 em mais de 150 empresas, com mais de 200 projetos executados e cerca de 10 mil profissionais capacitados nesta área da inovação, tendo vindo a desenvolver projetos para empresas como a Coca-Cola, Johnson&Johnson, Nívea, Thyssen Krupp, Sanofi, Roche, Philips Morris, Boticário, Volvo, Avon ou Danone.

Boas notícias para startups de desporto

kickupsports

O SLBenfica acolhe dez projetos, que apresentem ideias inovadoras nas áreas do desporto, num programa levado a cabo pela Kick Up Sports Innovation.

As candidaturas estão abertas até 12 de março e a seleção das melhores 20 startups será feita até dia 26 do mesmo mês. Após o processo inicial de 20 empresas, as mesmas irão fazer trabalho de campo no Estádio da Luz, durante quatro dias e em colaboração com a Universidade Nova, e só aí serão escolhidas as dez melhores ideias.

Essas empresas irão trabalhar, também no Estádio da Luz, recebendo um investimento inicial de 10.000 euros, num trabalho que se iniciará a 24 de abril, durante 12 semanas e até ao dia final de demonstração, a 11 de julho, no Estádio da Luz.

 

Fonte: Observador