Miss Can, conservas ganham prémio Indústrias Criativas

Miss Can, startup ligada ao sector das conservas, foi o vencedor do Prémio Nacional de Indústrias Criativas, promovido pela Super Bock e pela Serralves.
Este ano o prémio de 25 mil euros foi atribuído a Miss Can, que concorria na categoria turismo e património, um projeto que “nasceu da vontade de três amigos em recuperar a tradição familiar ligada à indústria conserveira, criando um negócio moderno com a dedicação de outros tempos”. As conservas de sardinha, cavala e atum, utilizam um método artesanal (peixe cozido a vapor), mas com embalagens modernizadas “nos quais se encontra a história desta indústria, curiosidades históricas de acordo com cada tema e sugestões de receitas”.
A Miss Can vai representar Portugal no Creative Business Cup, que se irá realizar a 17 e 18 de novembro em Copenhaga (Dinamarca), de onde irá emergir o melhor empreendedor do setor a nível mundial, entre mais de 50 países participantes.miss can boites

Ser ou não ser “fazedor”

O Dinheiro Vivo partilha 3 histórias/ideias para estimular o espírito empreendedor de cada um de nós. A Padaria Portuguesa é um dos exemplos.

Aprenda a criar a “sua própria Padaria Portuguesa” aqui.

 

 

Portugueses juntam chocolate e vinho em Paris

O ‘chocolatier’ Nuno Andrade e o ‘sommelier’ Nuno Jorge apresentaram no Salão de Chocolate em Paris a ‘Cacao di Vine’, a marca portuguesa que junta chocolate e vinho, a partir de castas.

O inovador produto é vendido dentro de uma embalagem de cortiça, que remete para o universo do vinho e para a cultura portuguesa. “Somos os únicos a fazer a junção do chocolate com vinho. Existem outras versões à base de licores, ou seja, o licor no interior do chocolate. Nós fazemos uma diferença que é uma fusão no interior, temos uma mousse. A degustação torna-se mais cuidadosa, não tão agressiva, não se sente tanto o álcool”, descreveu Nuno Jorge à Lusa. Os dois empreendedores criaram a marca há três anos, depois de se aperceberem, ao longo de muitas degustações de vinho e de chocolates, que podiam unir o melhor de dois mundos: o conhecimento de um ‘sommelier’ [profissional especializado em bebidas] com o de um ‘chocolatier’.Post 1

Fábrica lança bolo-rei dietético para o Natal de 2012

Fonte: RTP

A fábrica Douromel, sedeada em Tabuaço, lança no mercado, em 2012, um bolo-rei feito com fruta confitada sem açúcar, um produto “inovador” desenvolvido pela universidade de Vila Real ao qual foi incorporado fibras dietéticas.

Pilar Santos, responsável pela empresa, disse hoje que, no Natal de 2012, já vai estar disponível este bolo-rei mais saudável para quem não dispensa os doces ou não pode mesmo ingerir açúcar.

A Douromel nasceu em 1991, na vila de Tabuaço, localizada no coração da região do Douro, produzindo anualmente mais de mil toneladas de frutas confitadas, o que representa cerca de 80 por cento do volume de vendas.

A pedido da fábrica, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD) desenvolveu o “Nutridouro”, que contou com um investimento de 547 mil euros, aprovados no âmbito de uma candidatura à Agência de Inovação.

Liderado por Fernando Milheiro Nunes, docente do Departamento de Química, o projeto levou à produção de fruta confitada sem sacarose, utilizando outros adoçantes menos calóricos.

Mas, segundo explicou o investigador, ao mesmo tempo serão introduzidos outros ingredientes como fibra dietética para “também aumentar os benefícios para a saúde que podem advir do consumo desses produtos confitados”.

Numa altura em que os consumidores querem cada vez menos açúcar, Fernando Nunes referiu que, em termos energéticos, os novos frutos terão ter uma redução de cerca de “um quinto” nas calorias.

Pilar Santos acredita no “sucesso” do projeto que diz que vem dar resposta “às necessidades de consumos e de hábitos alimentares saudáveis”.