Guess What e Improve criam fundo de um milhão para start-ups

Guess What, em parceria com a Improve, empresa do grupo Guess What, acabou de criar um fundo de um milhão de euros, a distribuir nos próximos quatro anos por start-ups com ADN inovador e, tendencialmente tecnológico. Os fundos serão alocados em serviços de comunicação e inovação, destacando-se o apoio ao nível da comunicação, processos de internacionalização, obtenção de financiamento, inovação e transformação do negócio, registo de patentes, entre outros relevantes ao crescimento das start-ups apoiadas. A contrapartida deste apoio prevê a cedência de uma percentagem da sociedade ao grupo Guess What, a rever após quatro anos.

Este investimento prende-se com dois aspetos: a crença, da Guess What, no desenvolvimento empresarial através da inovação e, em muitos casos, de base tecnológica, que permitem adicionar valor ao ecossistema de negócio, entre parceiros e, por fim, ao consumidor. Por outro lado, acredita que estas empresas, que arriscam iniciar-se num ambiente económico e empresarial tão desafiante como o atual, têm provavelmente um tremendo potencial para fazer a diferença e estão dotadas de um forte know-how técnico, mas apresentam por vezes lacunas ao nível de recursos complementares à atividade que empresa pretende suprir, com os apoios previstos neste fundo.

A Guess What vai selecionar e apoiar o desenvolvimento de empresas com estas características e necessidades, com a certeza de que, através deste modelo de colaboração, serão parceiros de boas estórias empresariais de sucesso.

Fonte: Meios e Publicidade

Improve.png

 

Cortilejo, comunicação é inovação

Inspirados na cortiça e no azulejo, criaram um produto que é uma montra de inovação. A PME Rui Matias é uma das finalistas do Prémio Inovação NOS.Cortilejo
O Cortilejo surge com o objetivo de comunicar uma empresa, a Rui Matias.

A Rui Matias sempre fez magia mas tinha uma lacuna relativamente à sua comunicação, o Cortilejo surge, não primeiramente enquanto produto mas enquanto teste alicerçado numa estratégia de comunicação, ou seja, como base, tem uma tecnologia, é uma forma de trabalhar o MDF com a cortiça, já percecionada pela Rui Matias há sete anos.

Enquanto jóia de todo este trabalho, só “vem colocar no mundo”, esclarece Alexandre Amorim, gestor de inovação da empresa.

O Cortilejo resulta da fusão de dois dos maiores símbolos portugueses: a azulejaria tradicional portuguesa e a cortiça. Alexandre Amorim explica: “O resultado é uma peça fiel, quer nas dimensões do azulejo, quer nos padrões culturais.”

Portugueses no espaço?

A empresa portuguesa Load Interactive venceu o Space Apps Challenge 2015, organizado pela NASA , na categoria “Most Innovative Use of ‪#IBM‬ Bluemix”. A equipa de Aveiro criou a aplicação móvel Space Stuff, que convenceu o júri deste concurso internacional.

A Load Interactive criou em 36 horas uma app, para dispositivos móveis, que permite aos utilizadores interagir com os astronautas. Através dela, é possível encontrar o ‪astronauta através de realidade aumentada, comunicar com ele via Twitter e saber mais sobre o próprio astronauta.

International space apps

Portugal é melhor do que parece

Uma das primeiras coisas que se faz quando se chega a um país diferente é reestabelecer os canais de comunicação: televisão, internet e telemóvel. Pensei que ia ser fácil. Há várias promoções, bastante concorrência e lojas de telecomunicações em cada esquina. Não foi. Artigo de opinião de Ana Rita Guerra, continuar a ler aqui.

Post 5

bewarket – Vendas via Facebook

bewarket

Fonte: Sapo

Bewarket é um projecto português, e caracteriza-se por ser uma plataforma de compra e venda online, semelhante ao já conhecido ebay. No Bewarket o utilizador tem um leque de opções e pode comprar, vender, doar, leiloar e ainda revender os seus produtos. Não necessita de se dirigir ou aceder a nenhum site, e basta ter acesso à sua conta no Facebook uma vez que o serviço funciona como uma aplicação para esta rede social.

O ‘social commerce’ Bewarket, surgiu a partir da tese de Mestrado de um dos criadores, Marco Barbosa, que teve como tema a utilização do comércio electrónico no mercado social. Para o autor “existe uma convergência no associar das redes sociais às compras e venda online […] esse é o futuro do comércio electrónico”.

Elementos a ter em conta na criação de um produto

 

Quando criar um produto certifique-se que ele possui os diversos elementos-chave:

Cool

Eficaz

Distinto

Disruptivo

Emotivo

Completo

 

Uma inovação, para ser eficaz, tem de ser simples e concentrada. Deve fazer apenas uma coisa. Caso contrário será confusa. Se não for simples, não funcionará.

Peter Drucker

 

 

4 erros clássicos dos jovens empreeendedores

 

Para os que estão a empreender ou tencionam vir a fazê-lo no futuro, aconselho a ler este artigo. Os principais destaques:

1º Passar mais tempo a desenvolver o produto do que a vendê-lo;

2º Ter medo que a sua ideia seja roubada;

3º Pensar que os clientes são os próprios empreendedores;

4º Avaliação das ideias em detrimento das vendas.