Lisboa é uma das cidades europeias preferidas para começar um negócio

lisboa

Foi, segundo a Atomico, uma sociedade de capital de risco que publica, há três anos, um relatório sobre o cenário tecnológico europeu, o olhar mais completo e profundo sobre o panorama atual desde que o estudo é feito. Foram inquiridas mais de 3.500 pessoas em toda a Europa e entrevistados alguns dos nomes mais sonantes da tecnologia do velho continente. Tudo isto para concluir que Lisboa está entre as dez cidades da Europa preferidas para se começar um novo negócio.

É, mais uma vez, o reconhecimento da capital, do seu potencial empreendedor e das possibilidades que são um segredo cada vez menos bem guardado. Não só de Lisboa, mas de Portugal que, nesta área da tecnologia, se destaca no 10º lugar na lista de nações europeias onde as populações de trabalhadores tecnológicos mais têm crescido na Europa – e estão a crescer ainda mais. E a este dado junta-se outro: o facto de o país ser um dos que é identificado como tendo maior potencial em termos de capital investido per capita.

Não há dúvidas que a inovação e o desenvolvimento tecnológico são uma aposta cada vez maior da Europa que, de acordo com este relatório, fez um investimento de mais de 19 mil milhões de dólares nesta área, este ano. Verbas que se fizeram acompanhar por uma procura crescente de profissionais, destinados a ocupar um número crescente de vagas.

Fonte: Atomico

Anúncios

O maior fundo, a nível europeu, está de olho em Portugal

atomico

A empresa de investimento, Atomico tem novo fundo e, veio avisar, que está de olho em Portugal, a equipa tem estado atenta ao ecossistema empreendedor português. O quarto fundo da Atomico é composto por 765 milhões de dólares (724,50 milhões de euros) e é o maior a nível europeu. Está destinado a empresas tecnológicas em Série A (fase de pós lançamento) ou mais avançadas, que tenham em vista a escala e que pretendam tornar-se líderes globais nos setores em que atuam.

Não é a primeira vez que uma empresa portuguesa recebe um investimento deste género, a Uniplaces, em 2015, angariou um investimento de 22 milhões, na maior ronda de Série A.

Saiba mais em: Dinheiro Vivo