Falta a Portugal uma aposta concertada para a inovação

business-innovation-money-icon-40218

Que Portugal é já um país de empreendedorismo não há dúvidas. E basta olhar para as notícias que, quase diariamente, dão conta da criação de uma nova empresa, do nascimento de uma nova ideia, de conceitos inovadores, de vontade para empreender. Mas isso pode não ser suficiente. Ou melhor, não é suficiente e a garantia é dada pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) que, através de um estudo feito a pedido do Governo, olhou para a ciência, inovação e ensino superior nacionais e confirmou a falta de uma estratégia concertada. Tradução disso mesmo são as “medidas inconsistentes” que, ainda de acordo com a mesma fonte, exigem uma solução.

Tendo em conta a falta desta estratégia harmonizada, os peritos da OCDE apontam como caminho a criação de uma Estratégia Nacional para o Conhecimento e a Inovação, que sirva de orientador para as três áreas já referidas: a ciência, a inovação e o ensino superior.

Este plano, que servirá de base para uma “nova geração” de programas operacionais de apoio à competitividade e ao “capital humano”, deverá ter como base uma maior sistematização dos apoios dados pelo Estado a projetos inovadores.

Fonte: Lusa

Anúncios

Em busca de um combustível mais amigo do ambiente

eco

Nunca como agora se falou tanto sobre as alterações climáticas e os seus efeitos, que já se fazem sentir. E ainda que alguns continuem a negá-las, muitos mais há que se preocupam, com a ajuda da ciência, em criar formas de as manter sob controlo, de as mitigar ou até mesmo de as reverter. É o caso de uma equipa de investigadores da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, que decidiu lançar mãos à obra e tentar criar uma nova forma de produção de combustível que, para além de ser economicamente mais viável, tem uma outra missão: ser mais amiga do ambiente. E isto tendo em conta que propõe uma redução nos níveis de enxofre, que torna os combustíveis menos poluentes e menos consumidores de energia.

Algo que não acontece por acaso. É que regulamentações têm vindo a ser cada vez mais apertadas, sobretudo no que diz respeito aos níveis de enxofre permitidos nos combustíveis, uma vez que os gases poluentes que resultam do dióxido de enxofre são dos principais responsáveis pelo ácido sulfúrico presente na atmosfera. E por muitos dos seus efeitos (a chuva ácida, por exemplo).

O trabalho continua e, depois do financiamento da Fundação para a Ciência e Tecnologia, é agora a vez do REQUIMTE (Rede de Química e Tecnologia) dar o seu contributo.

Fonte: Universidade do Porto

Campus Party em Portugal

Para todos os fãs de inovação, criatividade, ciência, empreendedorismo e entretenimento digital, chega a Portugal o Campus Party.

Conhecido com‘festival geek’, já marcou presença no Brasil, Colômbia, Alemanha, Holanda e Espanha, de onde, aliás, é originário o festival, chega a Portugal e a primeira edição vai realizar-se no Estoril, entre os dias 4 e 9 de Julho.
Marque já na sua agenda!

campusparty

Saiba mais sobre o festival no site oficial.