Há uma empresa portuguesa em destaque na luta contras as infeções bacterianas

immunethep

O nome Bill Gates dispensa apresentações. Um dos homens mais ricos do mundo, Gates tem sido muito mais do que o fundador da Microsoft, tornando-se, através da fundação a que dá nome, juntamente com a mulher – a Fundação Bill & Melinda Gates -, um financiador de projetos na área social, da saúde, humanitária e por aí fora. É isso que significa, para a Immunethep, uma spin-off da Universidade do Porto nascida em 2014, o nome Gates. E isto porque o seu trabalho foi reconhecido pela fundação que preside, traduzido na atribuição de uma verba que ajuda a que a empresa possa continuar com os projetos que tem em mãos, que visam o combate às infeções bacterianas.

A abordagem é totalmente científica e é graças à ciência que, de resto, esta empresa da área da biotecnologia tem conseguido avanços importantes na área das imunoterapias antibacterianas, com o desenvolvimento de estratégias capazes de proteger vários grupos da população, dos mais aos menos jovens, deste tipo de infeções, que são das que mais matam em todo o mundo.

Desde 2015 que a Immunethep realiza ensaios pré-clínicos com uma vacina, a PNV1, que resulta dos avanços no conhecimento das bactérias, sobretudo as multirresistentes, e que permite a prevenção de infeções causadas por estes agentes.

Fonte: Universidade do Porto

Anúncios