A tecnologia ao serviço de uma pesca mais sustentável… e rentável

Bitcliq 2

“Melhorar a transparência da indústria da pesca através de tecnologias digitais.” O desejo, transformado em missão, é da BitCliq, uma startup nacional que conseguiu, graças ao seu trabalho, conquistar um dos 40 lugares na final da competição mundial ‘Fish 2.0 2017’, um concurso que liga empresas do setor das pescas a investidores, tornando mais sustentável o crescimento deste setor.

A empresa lusa levou a concurso o ‘Big Eye – Smart Fishing’, uma ferramenta que faz a gestão de frotas de pesca em tempo real, graças a um software e um hardware que “apresenta todas as atividades de viagens de pesca e atividades em terra”.

São as novas tecnologias ao serviço de um setor tradicional, que se quer mais moderno e capaz de dar resposta aos desafios atuais. Com esta plataforma, é possível ter acesso a “todos os indicadores de performance, painéis, fontes de dados e relatórios consolidados”, que dão informações sobre as operações da frota, como o peixe a bordo, o custo por tonelada, incidentes da tripulação, posição da frota, entre muitas outras. A tudo isto junta ainda a possibilidade de “garantir a sustentabilidade do peixe através da rastreabilidade digital do Prato até ao Mar”. Ou seja, fornece ao consumidor informação “desde a primeira milha, incentivando-o à realização de comentários e classificações”.

A grande final da competição realiza-se a 7 e 8 de novembro, na Califórnia, EUA, dias durante os quais a BitCliq vai poder apresentar-se, e mostrar o que vale, perante um painel de jurados e um grupo de investidores.

Fonte: BitCliq

Anúncios

Vendus, o software de faturação online para facilitar vendas

vendus-cabecalho_2.jpg

Na cidade do Porto uma startup desenvolveu um software de faturação online (Vendus), em que a simplicidade, o baixo custo e o ser possível personalizar, adaptando para diferentes áreas de negócio, foram tidos em conta com o principal objetivo de facilitar as vendas e a centralização de dados.

Segundo o responsável pela startup, Rui Marques, este software foi criado para ser intuitivo e ainda ser possível utilizá-lo em vários tipos de negócios, como restaurantes, lojas de roupa, quiosques e todo o tipo de retalho. Este diferencia-se pois não requer instalação e é “hardware-independent”, o que permite ser utilizado em diversos dispositivos como computador, tablet ou smartphone. E ainda, por ser criado em modelo SaaS, tem um custo reduzido e não obriga o cliente a fidelizações, contratos ou licenças.

O Vendus é gratuito, durante três meses, para empresas criadas há menos de um ano ou empresários com atividade aberta pelo mesmo período.

Fonte: Notícias ao Minuto Online

Uma Nação inovadora!

2015-07-23-Nacao-Inovadora

O que têm em comum Ana Patrícia Ferraz, Gonçalo Fortes e Miguel Neiva? Foram os perfis mais votados pelo público para o Prémio Nação Inovadora, promovido pela Audi e SIC Notícias.

Ana Patrícia Ferraz apresentou o protótipo de um sistema para a determinação de testes pré-transfusionais de sangue, que desempenha um papel essencial nas situações de emergência médica, Gonçalo Fortes fundou o software Prodsmart que permite aumentar a produtividade dos trabalhadores ao disponibilizar-lhes equipamentos móveis para cada passo das linhas de manufatura, e Miguel Neiva criou o Color Add, um sistema de leituras de cores pensado para daltónicos e com potencial para mudar a vida dos que sofrem desta condição.

Estes três perfis, considerados os mais inovadores, vão o grande prémio de 10 mil euros. Brevemente será anunciado o grande vencedor, cabendo a escolha ao júri, composto por dois representantes da SIC Notícias e da Audi e pelos cinco embaixadores: Barbara Coutinho, diretora do Mude; Joana Vasconcelos, artista plástica; Miguel Pina Martins, CEO da Cience4You; Paulo Pereira da Silva, CEO da Renova e Rosália Vargas, CEO da Ciência Viva.

Durante dois meses foram reveladas as histórias de 25 talentos nacionais nomeados para o Prémio Nação Inovadora, todas contadas e divulgadas na SIC Notícias e no site, onde o público foi convidado a votar no seu preferido.

18678163_vJEro

Fonte: Dinheiro Vivo

Prémios eHealth distinguem startup portuguesa

Uma solução personalizada de eHealth que permite, através da informação genética, dar mais ferramentas para a decisão médica em tempo real. Esta é a base do software ELSIE, desenvolvido pela startup portuguesa Coimbra Genomics, que recebeu o segundo lugar da eHealth Competition, uma iniciativa que premeia os melhores projetos eletrónicos na área da saúde, desenvolvidos por pequenas e médias empresas (PME) europeias.

Através deste software, os médicos têm acesso a informação pormenorizada dos seus pacientes, com base na sequenciação completa dos seus genomas. Assim, as decisões clínicas a tomar serão mais informadas e adaptadas, caso a caso, às reais necessidades e características dos doentes.

Lançada em 2013, a Coimbra Genomics foi criada por uma iniciativa conjunta do Biocant Park e da Critical Software e é a segunda maior promessa da Europa em soluções eletrónicas para a área da saúde.Coimbra Genomics

Através deste software, os médicos têm acesso a informação pormenorizada dos seus pacientes, com base na sequenciação completa dos seus genomas. Assim, as decisões clínicas a tomar serão mais informadas e adaptadas, caso a caso, às reais necessidades e características dos doentes.

O projecto ficou em segundo lugar na categoria “Promessas” da eHealth Competition, numa cerimónia ocorrida a 11 de Maio, durante o eHealth Forum 2015.