A tecnologia ao serviço de uma pesca mais sustentável… e rentável

Bitcliq 2

“Melhorar a transparência da indústria da pesca através de tecnologias digitais.” O desejo, transformado em missão, é da BitCliq, uma startup nacional que conseguiu, graças ao seu trabalho, conquistar um dos 40 lugares na final da competição mundial ‘Fish 2.0 2017’, um concurso que liga empresas do setor das pescas a investidores, tornando mais sustentável o crescimento deste setor.

A empresa lusa levou a concurso o ‘Big Eye – Smart Fishing’, uma ferramenta que faz a gestão de frotas de pesca em tempo real, graças a um software e um hardware que “apresenta todas as atividades de viagens de pesca e atividades em terra”.

São as novas tecnologias ao serviço de um setor tradicional, que se quer mais moderno e capaz de dar resposta aos desafios atuais. Com esta plataforma, é possível ter acesso a “todos os indicadores de performance, painéis, fontes de dados e relatórios consolidados”, que dão informações sobre as operações da frota, como o peixe a bordo, o custo por tonelada, incidentes da tripulação, posição da frota, entre muitas outras. A tudo isto junta ainda a possibilidade de “garantir a sustentabilidade do peixe através da rastreabilidade digital do Prato até ao Mar”. Ou seja, fornece ao consumidor informação “desde a primeira milha, incentivando-o à realização de comentários e classificações”.

A grande final da competição realiza-se a 7 e 8 de novembro, na Califórnia, EUA, dias durante os quais a BitCliq vai poder apresentar-se, e mostrar o que vale, perante um painel de jurados e um grupo de investidores.

Fonte: BitCliq

Anúncios

Alguém tem ideias para o futuro da vida urbana?

eia2016

Ericsson Innovation Awards levanta a questão “Como é que podemos transformar as nossas cidades através da tecnologia?” E este é o grande mote da edição de 2016 do concurso global de ideias inovadoras destinado a estudantes de todo o mundo.

Até 30 de Novembro pode inscrever-se, com hipótese de formar equipas de duas a quatro pessoas, a inovação tem que estar presente, aliás é um dos aspetos centrais do desafio. A 18 de Dezembro são anunciados os 10 semifinalistas que vão ter o apoio de dois especialistas Ericsson para poderem desenvolver um plano de negócios adequado e um produto viável, a custo reduzido.

A equipa com a melhor ideia receberá 25 mil euros, ao segundo lugar serão atribuídos 15 mil euros e a quem ficar com o terceiro e quarto lugar terá destinado mil euros.

“Assegurar que as nossas cidades são criativas, conectadas e sustentáveis é um grande desafio, mas também uma oportunidade de melhorar a vida de milhares de milhões de pessoas, a par da saúde e futuro do planeta”, argumenta a empresa. É por isso que a edição deste ano do Ericsson Innovation Awards centra-se na promoção das tecnologias de informação e comunicação (TIC) como ferramentas para melhorar a qualidade de vida nas cidades.

A edição 2015 do prémio teve como tema “O Futuro da Educação”. A equipa vencedora, da Alemanha, desenvolveu uma plataforma de auto-desenvolvimento que combinava conceitos como e-learning, aulas em vídeo de universidades reconhecidas, uma comunidade de talento e formação, certificações, mapa de objetivos, assim como um motor de pesquisa e emparelhamento de empregos.

Fonte: Revista Smart Cities

Startup lusa recebe um 1ME da Comissão Europeia

Uma startup portuguesa que desenvolve tecnologias na área da reabilitação motora de doentes com AVC vai receber 1 milhão de euros da Comissão Europeia no âmbito do programa do Horizonte 2020.

A solução pensada pela Sword Health visa o desenvolvimento de um sistema inovador e sustentável que permite auxiliar na terapia de reabilitação motora para pacientes que sofreram um AVC que pode ser usado no hospital ou em casa sem necessidade de supervisão. O sistema alia a tecnologia a métodos terapêuticos orientados à neurociência, para maximizar a terapia e assim potenciar a recuperação dos pacientes.

A apresentação das Ideias para Portugal

Com o objetivo de impulsionar o crescimento de Portugal, a Câmara de Comércio reuniu, de acordo com a própria organização, “um conjunto de personalidades da sociedade civil com reconhecido know-how e prestígio e auscultou os seus Associados”.

Economia & Investimento, Educação, Formação & Ensino Superior, Emprego & Segurança Social, Energia & Sustentabilidade, Mar, Reforma do Estado e Saúde foram as sete áreas abordadas, escolhidas pela sua relevância para o crescimento do país.

Foram apresentadas 180 propostas, uma por cada ano de vida da Câmara de Comércio. Estas ideias podem ser integradas nos programas dos partidos políticos para as próximas eleições e, acima de tudo, podem ser concretizadas nos próximos anos.Ideias PT